A Seguir

Entre Mestra e Discípulos

Amor de Tim Qo Tu Vencerá, Parte 6 de 9

2020-07-04
Idioma:English

Episódio

Detalhes
Download Docx
Leia Mais

Antes disso, eu fui para Halifax porque havia um homem, ele tem queimaduras de frio com os dedos. (Oh.) Ele não tem luvas. E ele teve que ir ao hospital e curativo por toda parte, e seus pés também. E então ouvi dizer que, oh, meu coração afundou. Então eu trouxe coisas para ele.

Quando fui para Halifax depois, tivemos um problema. A neve estava tão forte que o avião retornou ao aeroporto. (Uau.) E tínhamos muitos animais de estimação lá e outras coisas. Para que eu não pudesse deixar apenas um rapaz sozinho em casa. (Sim.) E novo. Não sabe como alimentar os cães e como usar roupas quentes para o cachorro antes de sair na neve. A neve estava tão profunda. Eu tive que voltar. De Halifax de volta para St. John. Então o avião parou, não parte. O avião disse, “OK. Temos um hotel para todos vocês, fiquem aqui. E amanhã o tempo estará bom, nós o levaremos de volta para casa." Todos os clientes ficaram, exceto eu. Eu disse, "Eu tenho que ir." Então eu saí. Eles não reembolsaram, porque eu me voluntariei para ir. Não é culpa deles. Também não perguntei. Eu disse, "Eu tenho que ir." E então eles me disseram, "Mas Você não recebe nada". Eu disse, “OK, deixa para lá. Não se preocupe. Só me deixem ir." E então eles disseram, “Mas o tempo está tão ruim, você não pode ir. Você não pode ir." Antes disso, eu fui para Halifax porque havia um homem, ele tem queimaduras de frio com os dedos. (Oh.) Ele não tem luvas. E ele teve que ir ao hospital e curativo por toda parte, e seus pés também. E então ouvi dizer que, oh, meu coração afundou. Então eu trouxe coisas para ele. Originalmente, eu queria enviar por correio, mas ninguém sabia onde ele mora. (Oh.) Ninguém sabe porque ele é um sem-teto. (Sim, Mestra.) Eu disse, “Então eu tenho que ir para Halifax. Tenho certeza de que alguém deve saber.” Porque a TV informou sobre isso. Então talvez eu tenha que ir lá e perguntar. Eles provavelmente sabem alguma coisa, ou alguma caridade em algum lugar. Alguém deve conhecê-lo.

 

Então, fui a Halifax de avião, mas voltei de táxi. A motorista de táxi, ela é a única que se atreveu a me levar porque ninguém queria ir naquele clima. (Oh.) Você nem consegue ver a estrada à sua frente. Mas eu disse que tinha que ir. Meus bichos de estimação. Então, ela concordou. Eu disse, "Pagarei o dobro, o triplo." E ela concordou em ir por causa do dinheiro. Eu disse, “Oh, graças a Deus. Muito bom da sua parte.” E então ela dirigiu apenas talvez meio quilômetro, algumas centenas de metros, e então ela esbarrou e depois enterrou a si mesma e a nós numa montanha de neve. (Oh. Meu Deus.) E, felizmente, todos saímos e cavamos, cavamos, cavamos e depois saímos. Então, eu disse ao meu atendente na época, da Costa Rica. Eu disse, “Você dirige. Não posso confiar nessa mulher agora.” (Oh, tão perigoso.) Talvez ela já esteja cansada demais dirigindo o dia todo. Nesse momento, ela não deveria mais dirigir, descansar. Mas, por nossa causa, ela sentiu pena de nós e nos levou. Além disso, pagamos bem a ela. Mas eu não pude piscar os olhos porque tinha que dirigir com ele. (Sim, Mestra.) "Esquerda. Direita. Direta. Não, não, não! Devagar. Devagar. Agora OK, OK, OK. Vai, vai, vai, vai, vai. Vá, mas devagar, devagar, devagar.” A noite toda. Não sei quantas horas de St. John a Halifax. Era a noite mesmo. (Sim, Mestra.) De noite. E o que a taxista fez? Ela sentou na parte de trás, eu sentei na frente. (Uau.) Eu tenho que assistir (Sim.) e mantê-lo acordado também. Tivemos que conversar e mantê-lo acordado. Eu cantei, falei, direcionei o tráfego. Somente ele, ninguém na estrada, pelo menos. Graças a Deus. E deslizou e escorregou e virou para a esquerda, direita, etc. Eu não deveria ter feito isso. Mas eu tinha confiança.

 

Mas, antes disso, fomos bem sucedidos em perguntar às pessoas e achamos aquele mendigo, dei a ele algum dinheiro. (Incrível.) Mas eu disse a ele, "Não conte a ninguém. É melhor para você. Apenas para você. Não diga às pessoas que você tem dinheiro, espécie. É perigoso." Não posso dar um cheque a ele, posso? Então eu dei a ele, acho que alguns milhares de dólares em dinheiro, e depois roupas e luvas e chapéu e muts (bonés) e meias e sapatos. (Uau.) Botas. Ele é um homem sem-teto, mas alguém lhe deu um depósito para morar. E uma caridade de igreja sabia disso. Então, perguntando, perguntando, perguntando, uma pessoa disse para outra e outra e outra, e chegamos lá, e pedimos a alguém para ligar para o padre da igreja e sua esposa. Eles vieram. Um casal muito humilde. Eles fazem caridade. Eles ajudam os sem-teto, então eles sabem onde ele está. Eles nos levaram para o depósito onde ele morava. Não é um quarto. Ele tinha um sofá quebrado, eles o deram. É melhor que nada. E ao seu redor há cadeiras e todos os tipos de móveis. Ele tinha apenas aquele sofá e alguns metros para ir ao banheiro. É isso aí. Alguns metros, mas em zigue-zague. (Sim, Mestra.) E um fogão quente ou algo para cozinhar. Isso é tudo. E ele morava lá, mas pelo menos ele está quente. Por que ele tinha queimadura por frio? Porque ele saiu para procurar emprego, trabalho. Até trabalho por comida. Mas ele não tinha nada para se cobrir. Eu lembro que era 40 graus negativos. (Oh!) Alguns dias (menos) de 30, mas alguns dias menos. Alguns dias mais de (menos) 40. Lembro-me de algo assim. Trinta é um dia mais quente. Mas eu lembro que são 40 graus a menos. Eu disse, "Não acredito que as pessoas vivem com tal clima!” Eu disse ao meu atendente. E eu não acredito que eu poderia andar do carro para a loja. Eu pensei que eu congelaria até a morte em tal clima. Antes eu imaginava, menos 40, é inacreditável para viver! (Sim.) E você nem pode ir às compras e nem ir arrumar meu cabelo!

 

Então eu disse, "Oh, aquele homem, ele deve sofrer muito se ele não tiver luvas e meias.” Eu tive que ir. Se eu não for, eu sofreria, mentalmente. (Sim, Mestra.) Imaginando quanto sofrimento ele tem que suportar. Eu sofreria mais imaginando e não fazendo nada. Então, eu parti. E foi assim que aconteceu. Então, felizmente, voltamos no tempo, pagamos o dinheiro para a senhora, demos a ela um quarto de hotel para que ela pudesse descansar até de manhã. Então ela poderia dirigir. Eu disse, "É melhor você dormir. Você não volta agora. É melhor dormir até o tempo estar melhor, seguro, então você dirige." Ela disse, "Ok, ok." Então, nós a reservamos um hotel, pagamos por isso, e então a deixamos lá. Depois nos despedimos. Alguém veio e nos recebeu. Finalmente poderia ter contato telefônico.

 

Eu pensei ter lhes contado toda essa estória já, mas eu não tenho certeza. Mais algo que vocês queiram saber? ( Mestra, foi tão emocionante que você viajou por todo o caminho para Halifax apenas por uma pessoa, e naquele clima perigoso, ) Sim, não importa. ( e é como no artigo. Este cita o gerente da loja, ) Sim. ( que estava assistindo a Mestra encher as carroças, e ele disse, "É inacreditável. Eu nunca vi nada assim, nunca, e estou aqui há cinco anos. Até nossas contas comerciais, nada assim.” Então, mesmo como as empresas que fazem caridade, isso não era comparável para o que a Mestra estava fazendo. Então, é realmente extraordinário. ) Isso não era uma loja de caridade. São lojas diferentes que nós estamos falando a respeito. A igreja em St. John é o Exército de Salvação, (Sim.) eles fazem uma loja de caridade. E o que eu comprei, eles são uma loja de roupas de primeira classe. (Sim, sim.) Então eu também doei porque originalmente nós só queríamos dar as roupas e ir, mas o major do Exército da Salvação, ele me disse sobre a terra ao lado. Que se ele pudesse comprá-la, elas seriam boas para alguma coisa. Talvez ele possa ter um abrigo para os sem-teto ou algo assim, eu esqueci. Então eu lhe dei dinheiro para comprar a terra. É bem barato. Estou surpresa. (Uau.) Talvez porque ele é uma organização de caridade. Então eles provavelmente deram a ele um preço mais barato ou algo. E depois há outra, é uma organização diferente, e eu também lhes dei dinheiro porque eu não consigo muito mais dinheiro. O que quer que eu pudesse conseguir naquele dia, eu dei para eles ou mais, mais do que eu consegui. Eu acho que eu poderia obter apenas 20.000 dólares Canadenses por dia.

 

Eu nunca precisei tanto então eu nunca pedia mais. E sorte que eu tinha um cartão de crédito já; antes eu nunca tinha. Eu estava na América sem nada. E meu dinheiro - minha discípula tinha uma grande conta bancária lá. E quando eu disse que queria se juntar a ela, eles disseram, "Você quer pegar o dinheiro dela, não é? É por isso que você deseja se juntar." (Oh.) Então eles não me deixaram. Eles não me deixaram fazer uma conta conjunta com ela. Era o meu dinheiro e ela pegou isso de Taiwan (Formosa) para mim algum tempo atrás. Todos os discípulos têm dinheiro. Meu negócio eles controlam. Eles são gerente disso e daquilo. Eu quase não tinha nada, antes. Agora eu tenho alguns, apenas para que eu possa mostrar ao mundo que eu não estou aqui ou ali para comer a sua comida. Eu sou capaz de cuidar. Às vezes para estadia, residência. Para burocracia, para papelada. Caso contrário, não vejo nenhum dinheiro chegando. Claro, mas eu não estou faltando com nada. Se eu precisar, é claro que posso pedir. Mas eu quase não preciso de nada. Eu não gosto de pedir Qualquer dependência é realmente contra a minha natureza contra a minha religião. Eles dizem aquilo. Se eu pedir e não tiver, então não peço mais. (Sim, Mestra.) Ou se não for feito automaticamente, então eu não peço. (Ok.) Eu não preciso de muito Tudo que vocês veem, minhas roupas e bonito e tudo isso, eu apenas o uso para o trabalho. É como um uniforme. Uniforme especial. O resto, não preciso de muito. Eu posso usar roupas baratas, simples e confortáveis. (Sim, Mestra.) Então, de verdade não preciso de muito.

 

Mesmo quando eu não era uma Mestra, eu estava morrendo de fome por três dias em Paris, sem emprego. (Oh, meu deus.) Sem emprego, procurando emprego. Eu ainda não contei às pessoas que eu não tinha dinheiro, as pessoas que me acolheram para trabalhar lá. E quando eu parei por alguma razão sentimental, eles me perguntaram se eu queria algum dinheiro. Eu disse, “Não, não, obrigada. Está ok." (Oh.) Eu não queria que eles entendessem mal. Eu estava apaixonada pelo homem da casa naquele tempo. (Oh.) Eu já lhes contei essa estória. (Sim, Mestra.) Porque sua esposa é muito indelicada com ele. (Oh.) Ele é um médico; ele já é ocupado e vai para casa, tem que fazer isso, fazer aquilo para as crianças. E ela poderia fazer isso. Mas não é como se ela falasse gentilmente com ele. Ela dizia, “Hey, faça isso! Hey, faça aquilo!” Como pedindo. Então eu me senti solidária com ele, e então isso virou vagarosamente em como um romance mas eu não sabia. Mas eu poderia controlar até que ele quebrou isso e depois eu tive que correr (Sim, Mestra.) Porque agora eu sabia que ele também tinha sentimentos por mim, então eu não posso ficar. Seria perigoso. Se eu sozinha, então eu poderia controlar, mas eu era jovem. Então, eu disse que eu tinha que ir. Porque eu larguei imediatamente. Não tenho onde ficar e sem dinheiro (Oh.) - porque estudante. Só tem alguns dólares para pegar ônibus, mas não o suficiente para comprar pão. Se eu comprasse pão, eu não teria dinheiro para ir a nenhum lugar para procurar um emprego. Então, três dias, eu não tinha nada. E eu estava andando no parque procurando emprego ainda, e um homem veio e me ofereceu 800 francos, Dinheiro francês naquela época. Eu não sei quanto dólar Americano, talvez metade disso. (Oh uau.) Oitocentos para ir com ele. Então eu disse, "Se você não sair, Vou chamar a polícia." (Oh uau.) Então eu parecia séria, então ele foi embora. Ao menos ele é decente. (Sim, Mestra.) Muito decente. Mesmo quando eu era mais jovem, ainda. Em Âu Lạc (Vietnã), eu fui para alguma área e eu não tinha muito dinheiro - vocês sabem, estudante e o dono da casa é um amigo de um amigo, me deixou ficar. E eles prepararam a comida e deixaram isso para mim. Eu não sabia se eles deixaram para mim ou não, porque eles deixaram antes de eu sair do meu quarto. Não ousei comê-lo. Então eu saí, apenas comi pão e bebi água. (Oh, meu deus.) Então, pedir algo para mim é muito… Eu não me sinto confortável. (Sim, Mestra.)

Assista Mais
Episódio
Lista de Reprodução
Compartilhar
Compartilhar Para
Embutir
Iniciar em
Download
Celular
Celular
iPhone
Android
Assista no navegador do celular
GO
GO
App
Escanear o QR code, ou escolha o sistema de telefone certo para baixar
iPhone
Android